Poderíamos aprender algo com os amazonenses…

18 01 2012

É chocante a diferença entre Roraima e Amazonas quanto ao tratamento dispensado à cultura, ao patrimônio histórico-cultural e ao lazer. Enquanto nós não temos um único museu aberto em todo o estado, nossa Casa de Cultura está caindo aos pedaços, a biblioteca pública só encolhe e os espaços públicos de lazer encontram-se em estado desolador, Manaus multiplica as bibliotecas públicas, parques, centros culturais e museus. Com todas as falhas e vícios típicos da nossa pequena política, os gestores públicos – pelo menos na capital amazonense – tem mantido esses espaços em bom estado e ampliado a oferta. Turistas e população local podem visitar o Bosque da Ciência, do Inpa; o Museu do Seringal, os 5 museus do Palacete Provincial, o Centro Cultural dos Povos da Amazônia e muitos outros locais mantidos pela Secretaria de Cultura. Não vou nem falar do Teatro Amazonas e seus corpos artísticos, do festival de ópera etc. Nem vou mencionar o Zôo do CIGS. Mas se ficarmos apenas nos centros culturais, bibliotecas públicas e museus mantidos pela prefeitura e pelo estado, a comparação entre RR e AM é um vexame para nós. E o Amazonas nem é dos estados mais ricos. Há alguma coisa de muito errada na forma como as oligarquias roraimenses “administram” o estado e os municípios de RR.

Orquestra Sinfônica do Amazonas

Um amigo que esteve no Acre trouxe muitas fotografias e também pôde constatar nosso atraso, em quase qualquer aspecto, em relação a um estado igualmente pobre e periférico. Em Rio Branco, o povo tem um orgulho de ser acreano. Parques e centros culturais e de lazer bonitos e bem cuidados chamam a atenção dos visitantes.

Coreto Na Praça da Polícia e Palacete Provincial

No Amazonas, Parques Nacionais como as Anavilhanas e áreas de preservação como a Reserva Adolfo Ducke são motivo de orgulho para a população e promovidas como atrações turísticas. Em Roraima, ao contrário, a “classe política” anda sempre a ladrar contra essas áreas de preservação e defende o desmatamento indiscriminado para a monocultura.

E ainda tem gente que não entende por que os manauaras passam direto por Boa Vista em seu caminho para Margarita…

Sagüi e arara no Bios

Bosque da Ciência (Inpa - Manaus)





A trepidante política cultural de nosso estado

31 10 2011

Sábado passado resolvi dar uma de turista. Passei pelas principais atrações culturais e esportivas da cidade. Não cheguei muito perto do Canarinho – confesso que não sou corajoso a ponto de entrar em edifícios condenados.

Já no desconjuntado Teatro Carlos Gomes, que já teve dias melhores, tirei algumas fotos. Vê-se que a programação do teatro está “bombando”.

Já cheio de orgulho e gratidão pelo excelente trabalho de nossas autoridades estaduais e municipais, dirigi-me ao Palácio da Cultura Nenê Macagge, mas estava fechado. Lembrei-me de que não se encontra para aquisição um único livro de Nenê Macagge, nossa maior escritora. Simplesmente, seus livros não são reeditados. Mas para quê, né? Basta ver as capas dos livros pela vitrine que montaram no Palácio da Cultura.

Dizia a Folha de Boa Vista em 25 de fevereiro de 2011: “Durante o ensaio para a colação de formatura de dez turmas da Universidade Federal de Roraima (UFRR), que aconteceria na noite de ontem, uma parte do forro do auditório desabou.” (para ver a matéria e a foto do teto caído, vá em http://www.folhabv.com.br/noticia.php?id=104110&sms_ss=facebook&at_xt=4d67b1660fdf698e%2C0).

Isso mostra o enorme valor que nossos governantes conferem à cultura em nosso estado! Cada vez mais feliz com nossa classe política, caminhei até a Casa de Cultura Madre Leotávia:

Antiga residência do governador do território, Casa de Cultura está abandonada

Não cheguei muito perto, claro, por medo de cair um pedaço do reboco na minha cabeça. Mas essa Casa de Cultura, abandonada há tempos, é o melhor retrato da proposta cultural de nossa classe política. É ou não é?

Em abril de 2010, “o Ministério Público Estadual (MPE) protocolou ação civil pública contra o Estado de Roraima para obrigá-lo a reformar a Casa de Cultura Madre Leotávia Zoller, por descumprimento da legislação estadual no que tange à conservação de patrimônio cultural devidamente tombado como “patrimônio cultural dos roraimenses”.” A notícia está na Folha: http://www.folhabv.com.br/Noticia_Impressa.php?id=100271

Decidi caminhar um pouco no Parque Anauá. Lá encontrei a Escola de Música, super bem conservada, vejam só:

Confiante na competência de nossos gestores culturais, passei pelo ginásio Totozão, interditado há mais de um ano. Como fiquei satisfeito em ver o cuidado que nossas autoridades tem com o dinheiro público. Reportagem da Folha também elogia o bom trabalho dos gestores: http://www.folhabv.com.br/noticia.php?id=94953

Vejam como está bem cuidada a entrada do Ginásio e seu jardim:

Finalizei meu passeio no Museu Integrado de Roraima. O ÚNICO museu do estado está fechado por tempo indeterminado. Um simpático recado na entrada presta contas ao distinto público:

Cartaz na entrada do único museu de RR

Não entendo as críticas que fazem a nossos chefes do executivo, municipal e estadual. Afinal, o trabalho deles é tão bom que o povo os reelegeu! Infelizmente, não podemos reelegê-los de novo.. Que pena. Mas certamente nosso prefeito e nosso governador deixaram marcas profundas em nossa terra. Como Átila, o huno, e o furacão Katrina, suas passagens serão lembradas pela posteridade.

De minha parte fiquei tão emocionado com o trabalho de alta qualidade de nossos gestores que comecei a chorar. De raiva.





Programação da Feira do Livro!

28 10 2011





Teatro neste domingo, rock no próximo

23 07 2011

Hoje, 19h no Palácio da Cultura, última sessão da peça Oito Olhos, da Cia. do Pé Torto. Ingresso a 4 reais.

Sexta 5 de agosto e sábado 6, a partir de 21h30 no SESC Mecejana, com ingressos a 10 e 5 reais, teremos o Sesc Fest Rock, com bandas locais e de outros estados, como a Cachorro Grande. Imperdível.

Programação (ver informações completas em http://www.sescrr.com.br):

05 de agosto – sexta-feira
21h20 – HAADJ
22h – Ostin
22h40 – Rolling Bones
23h20 – ALT F4
00h – Nevilton
00h40 – A Coisa
01h20 – Disritmiä
06 de agosto – sábado
21h20 – Jam Rock
22h – Kadima
22h40 – Insert Rock
23h20 – Los Porongas
00h – Kandelabrus
00h40 – Iekuana
01h20 – Cachorro Grande





Teatro: Navalha na Carne, de Plínio Marcos.

6 06 2011

O ótimo grupo Arteatro apresenta Navalha na Carne, de Plínio Marcos, no Teatro do Sesc Mecejana, dia 9 de junho às 20 horas. Imperdível.

O texto, do autor brasileiro Plínio Marcos, é voltado para o público adulto e aborda o tema prostituição. A peça conduz a uma profunda reflexão acerca do homem e seus conflitos internos, exaltados pela mistura de sentimentos como orgulho, egoísmo, amor e ódio.





Agende-se: programação cultural do SESC

25 02 2011

Calendário Cultural do SESC 2011
Ter, 22 de Fevereiro de 2011 15:05 | Escrito por Paulo Thadeu |
(fonte: http://www.fecomerciorr.com.br/sitio/component/content/article/39-agenda-cultural-sesc/408-calendario-cultural-do-sesc-2011.html)

A Gerência de Cultura do Sesc-RR divulga neste mês de fevereiro, o calendário de eventos culturais para 2011, com destaque para a Mostra Canta Roraima, que acontece em abril e este ano chega á sua sexta edição.
Na programação deste ano constam grandes projetos de itinerância nacional como o Sesc Amazônia das Artes e o Palco Giratório, além de eventos locais como o Fest Rock, Mostra de Dança, Aldeia Cruviana, Mostra de Curtas, o Prêmio Sesc de Literatura e a Feira de Livros.
Conheça um pouco de cada evento e coloque na sua agenda a data da realização de cada um, para não perder esse verdadeiro caldeirão de cultura que o Sesc lhe proporciona.

VI Mostra Canta Roraima
Data: 09 de abril de 2011 (sábado)
Local: Teatro Jaber Xaud

A mostra Canta Roraima tem como objetivo a criação e difusão da diversidade musical na qual se busca a sonoridade característica do estado de Roraima. Incentiva a pesquisa musical local e possibilita a troca de experiências técnicas e do conhecimento musical, através da integração entre compositores, instrumentistas e intérpretes do cenário musical do estado de Roraima.

Mostra SESC Amazônia das Artes
Data: 22 de abril a 01 de maio.
Local: Teatro Jaber Xaud e espaços alternativos

A mostra tem como objetivo promover um intercâmbio cultural entre os estados que compõem a Amazônia Legal – um conceito político e geográfico que delimita uma área composta por dez estados de aspectos econômicos e sociais semelhantes. Trabalhos de dança, música, teatro e artes plásticas oriundos desses estados estarão se apresentando durante uma semana na cidade de Boa Vista. O show “Batida Brasileira” com a cantora Euterpe foi o trabalho escolhido para representar o estado de Roraima no projeto.

Palco Giratório
Data: abril a outubro
Local: teatro Jaber Xaud

O projeto Palco Giratório, criado pelo Departamento Nacional do SESC em 1998, representa, hoje, um dos mais importantes projetos de difusão das artes cênicas no Brasil e América Latina. Com objetivo de descentralizar as apresentações teatrais e de dança dos grandes centros brasileiros, o projeto permite que a população tenha acesso a produções de qualidade de forma gratuita ou com preços simbólicos em alguns Estados. Com uma programação diversificada incluindo apresentações, diálogos entre artistas visitantes e artistas locais (Pensamento Giratório), Oficinas e Intervenções .

III Mostra de Dança do SESC
Data: 3 a 11 de julho
Local: Teatro Jaber Xaud

A III mostra SESC de dança, tem por finalidade oferecer oportunidades para a apresentação de grupos organizados e praticantes das mais diversas formas de dança, contribuindo para o aprimoramento das atividades desenvolvidas, bem como a divulgação dos conhecimentos técnicos desta área. Além das apresentações dos grupos locais, espetáculos de outros estados também serão apresentados na mostra.

Aldeia Cruviana
Data: 29 de setembro a 08 de outubro
Local: diversos

Em seu terceiro ano de realização, a Aldeia Cruviana já vai se consolidando como o maior evento cultural do Estado, trazendo uma miscelânea de eventos de todas as vertentes e reunindo desde artistas populares a profissionais de várias áreas. O evento é um espaço de discussão, debate, pesquisa e difusão das mais variadas linguagens artísticas, que possibilita uma imersão cultural, uma observação do quadro da produção artística local. Provoca uma discussão sobre essa mesma produção em confronto com as produções regionais e nacionais, trazendo como resultado um panorama abrangente de nossa realidade

Prêmio de Literatura SESC-RR
Período – junho a outubro

O Prêmio de Literatura SESC-RR 2010 tem por objetivo premiar textos inéditos, escritos em língua portuguesa, por autores brasileiros ou estrangeiros residentes no Estado de Roraima, nas categorias literárias Poesia e Conto.

VII Fest Rock
Data: 05 e 06 de agosto
Local: Ginásio de esportes do SESC

O Roraima Sesc Fest Rock é um festival voltado à difusão e fortalecimento da cultura do Rock, realizado anualmente em Boa Vista-RR e promovido pelo SESC-RR. Dele participam bandas nacionais, regionais e bandas locais selecionadas em edital e participação em prévias seletivas, a fim de democratizar a participação de todas as bandas autorais em atividade na cena musical do estado de Roraima.

XXI Feira de Livros SESC
Data: 7 a 12 de novembro
Local: Ginásio do SESC
Aberta a todos os segmentos do mercado livreiro do país, a tradicional feira é uma oportunidade única no Norte do país para aproximar o universo do livro e seu público.

Mostra de Curtas
Data: 10 e 11 de dezembro
Local: CineSESC

A Mostra tem como objetivo estimular e difundir a produção audiovisual roraimense, e traçar paralelos com produções realizadas em outros estados, além de trazer ao público discussões sobre a cinematografia local e nacional.





Ainda sobre os padrinhos

27 02 2009

Há algum tempo atrás, famoso banqueiro pego com a boca na botija, bem conhecido na privataria nacional (operação que nos proporcionou os inesquecíveis telefonemas do Mendonça de Barros sobre a “forçada de barra” para os fundos de pensão entrarem com o capital para entregar a Telemar de mão beijada para o Daniel Dantas…), condenado sucessivamente nos tribunais dos EUA e do Reino Unido, foi preso na operação Satiagraha, mais ou menos ao mesmo tempo que o Pitta (outro famoso). Este último apareceu nos telejornais sendo preso de pijama pela PF. Ah, pra quê…

Imediatamente o grande Gilmar Mendes chamou toda a mídia nacional para um discurso emocionado em defesa dos pobres tubarões inocentes, tão malvadamente expostos pela polícia à sanha da condenação popular… E cuidou de dar não apenas um, mas dois habeas corpus – o segundo passando por cima, a jato, de todas as instâncias judiciais do país, o que segundo o juiz aposentado F. Maierovitch, deveria valer-lhe um impeachment. O momento que mais me emocionou foi quando Mendes disse que analisa habeas corpus de qualquer cidadão, até mesmo se for escrito em papel de pão [risos, muitos risos]. Ok, Mendes, se eu for preso vou tentar usar do mesmo direito de Daniel Dantas.

Saiu a súmula das algemas (a súmula “Daniel Dantas”). No país em que existe a famigerada “prisão especial” para a minúscula minoria que tem diploma de nível superior (tipo um título de nobreza), agora fica claro para qualquer bom entendedor: algema e exposição à execração pública anterior à condenação, só para pobre, ok?

Sim, todo mundo já sabia. Isso é meio feudal, mas é assim que deve ser, do ponto de vista da nossa elite neandertal. Os jornais todos os dias provam ter entendido muito bem a lição. Suspeito rico tem que aparecer na coluna social. Suspeito pobre vai na capa, bem exposto.

Quem mandou não ter facilidades e amigos no STF?