Poderíamos aprender algo com os amazonenses…

18 01 2012

É chocante a diferença entre Roraima e Amazonas quanto ao tratamento dispensado à cultura, ao patrimônio histórico-cultural e ao lazer. Enquanto nós não temos um único museu aberto em todo o estado, nossa Casa de Cultura está caindo aos pedaços, a biblioteca pública só encolhe e os espaços públicos de lazer encontram-se em estado desolador, Manaus multiplica as bibliotecas públicas, parques, centros culturais e museus. Com todas as falhas e vícios típicos da nossa pequena política, os gestores públicos – pelo menos na capital amazonense – tem mantido esses espaços em bom estado e ampliado a oferta. Turistas e população local podem visitar o Bosque da Ciência, do Inpa; o Museu do Seringal, os 5 museus do Palacete Provincial, o Centro Cultural dos Povos da Amazônia e muitos outros locais mantidos pela Secretaria de Cultura. Não vou nem falar do Teatro Amazonas e seus corpos artísticos, do festival de ópera etc. Nem vou mencionar o Zôo do CIGS. Mas se ficarmos apenas nos centros culturais, bibliotecas públicas e museus mantidos pela prefeitura e pelo estado, a comparação entre RR e AM é um vexame para nós. E o Amazonas nem é dos estados mais ricos. Há alguma coisa de muito errada na forma como as oligarquias roraimenses “administram” o estado e os municípios de RR.

Orquestra Sinfônica do Amazonas

Um amigo que esteve no Acre trouxe muitas fotografias e também pôde constatar nosso atraso, em quase qualquer aspecto, em relação a um estado igualmente pobre e periférico. Em Rio Branco, o povo tem um orgulho de ser acreano. Parques e centros culturais e de lazer bonitos e bem cuidados chamam a atenção dos visitantes.

Coreto Na Praça da Polícia e Palacete Provincial

No Amazonas, Parques Nacionais como as Anavilhanas e áreas de preservação como a Reserva Adolfo Ducke são motivo de orgulho para a população e promovidas como atrações turísticas. Em Roraima, ao contrário, a “classe política” anda sempre a ladrar contra essas áreas de preservação e defende o desmatamento indiscriminado para a monocultura.

E ainda tem gente que não entende por que os manauaras passam direto por Boa Vista em seu caminho para Margarita…

Sagüi e arara no Bios

Bosque da Ciência (Inpa - Manaus)

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: