Investigating “Lambert Academic Publishing” with Google Square

15 11 2017

Aran at Grad School

Update: Lambert Academic Publishing and VDM Verlag are apparently not a scam. A reader wrote to me to mention that VDM published her PhD thesis and those of several friends. These can be purchased at Amazon.

It is unfortunate that LAP and VDM use unethical marketing practices in support of their legitimate business. I apologize to anyone who was misled when I believed them to be a scam.

Last month I received spam from “Lambert Academic Publishing”. I published the whole thing, and it seems many others have seen the same thing. According to a commenter, Lambert asks for bank information to facilitate the deposit of royalties. Clever.

The Lambert website is sophisticated and looks trustworthy. It includes names of part of the executive team, so I submitted the names to Google’s new product, Google Square. Very quickly, I was able to discern that they are in…

Ver o post original 25 mais palavras

Anúncios




Escravos africanos e o tráfico atlântico: História “politicamente incorreta”

13 11 2017

Xadrez Verbal

Aviso que o texto que segue é um pouco maior que o normal; peço a paciência e a leitura.

Caros leitores,

Ontem estava em um debate sobre as cotas nas universidades brasileiras. Citei meu texto sobre o assunto. Um colega de debate, chamado Leonardo, muito cordialmente pediu minha opinião sobre o fato de muitos africanos terem sido apresados por outros africanos, e como isso poderia implicar uma responsabilidade do Estado brasileiro. Tal argumento é comumente utilizado, muitas vezes para diluir a responsabilidade luso-brasileira na escravidão africana. Afinal, os africanos também eram escravistas, então, a culpa não seria de Portugal ou do Brasil. Ao menos, não exclusivamente.

Ver o post original 2.089 mais palavras





Escravos africanos e o tráfico atlântico: História “politicamente incorreta”

13 11 2017

via Escravos africanos e o tráfico atlântico: História “politicamente incorreta”





Uma palavrinha sobre o episódio William Waack

11 11 2017

Blog da Milly

Nasci e cresci dentro de uma família bastante tradicional. Católica, conservadora, direitista, totalmente branca e ligeiramente rica. Estudei nas melhores escolas, tive acesso a clubes privados onde pude praticar esportes e conhecer pessoas como eu, viajei para a Europa antes dos 18 anos, aprendi outras línguas, li muitos livros.

Durante essa minha infância privilegiada não era incomum ouvir pessoas dizendo coisas como “branco correndo é atleta, preto correndo é ladrão”. Não lembro de alguém reclamando de colocações assim, muito pelo contrário: escutava risadas. E eu ria junto.

Uma criança que se forma nessa circunstância tem sua configuração padrão programada para acreditar ser melhor do que outros: negros, pobres, excluídos. A vida, aliás, vai dando a você a certeza de ser assim. Os melhores empregos são seus, os salários mais altos também, as maiores casas, as refeições mais sofisticadas.

É preciso um bocado de atenção e disciplina para perceber que o…

Ver o post original 623 mais palavras





Passados sensíveis (sobre a polêmica em torno de Vazante, filme de Daniela Thomas, contém spoilers)

11 10 2017

conversa de historiadoras

Vazante, novo filme de Daniela Thomas, é obra de longa maturação. Há cerca de 15 anos organizei, com Mariza Soares e Sheila de Castro Faria, uma primeira consultoria de pesquisa histórica para o roteiro então em elaboração. Perdi o contato com a cineasta, ex-colega dos primeiros semestres de minha graduação em história na UFF, depois disso. Só fui reencontrá-la ao aceitar o convite para assistir o corte final, em 2016, pouco antes da estreia no festival de Berlim.

Difícil descrever o impacto que tive ao me deparar com as imagens do filme. O mundo claustrofóbico, violento e intimamente segregado da escravidão das Minas Gerais oitocentista parecia ter saído dos velhos manuscritos com os quais comumente trabalhávamos – inventários post-mortem, processos criminais, registros paroquiais, iconografia de época… e se transformado em cinema, sob o ponto de vista de Antônio, tropeiro/traficante de escravos, português de meia idade e de sua segunda…

Ver o post original 1.131 mais palavras





Preparando gráficos para um artigo

7 10 2017

Ciência Prática

Esse artigo contém sugestões de como melhorar os gráficos, baseadas na nossa experiência (como autores e revisores) e em recomendações dadas por revistas científicas e pelo American Institute of Physics (AIP) [1].

Primeiro. Identifique o objetivo do gráfico, i.e., o que se pretende comunicar? O objetivo é demonstrar que a resposta é linear com o estímulo? Ou é demonstrar a reprodutibilidade de um experimento?

As escolhas feitas durante a preparação do gráfico (por exemplo, dados apresentados, tipo de gráfico, tipo de escala, região de interesse, etc.) têm o objetivo de evidenciar o significado dos dados. Portanto, essas escolhas devem ser guiadas pelo que estamos tentando comunicar e devem tornar a comunicação a mais clara possível. O gráfico não é simplesmente um “lugar onde se colocam os dados”.

Segundo. Recomendamos a utilização de um software apropriado para gráficos científicos. Gráficos preparados em Excel em geral têm uma qualidade inferior quando comparados a gráficos preparados…

Ver o post original 555 mais palavras





Como encontrar literatura científica

7 10 2017

Sobrevivendo na Ciência

Muitos alunos reclamam que não acham artigos sobre seus temas de interesse. Contudo, muitos desses temas têm literatura abundante e uma simples busca no Google prova isso. Se você for um desses alunos com dificuldades, talvez esteja procurando errado. Aqui dou algumas dicas sobre como fazer uma pesquisa bibliográfica eficiente.

Ver o post original 712 mais palavras